Páginas

terça-feira, 19 de julho de 2011

EPICÔNDILITE LATERAL, a lesão do Tenista!

           A articulação do cotovelo é formada pelo osso do braço (o úmero) e os ossos do antebraço (a ulna e o rádio). Na extremidade inferior do úmero existem duas saliências ósseas, chamadas de epicôndilo lateral e epicôndilo medial. O epicôndilo lateral é o mais externo e recebe os tendões de alguns músculos do antebraço, responsáveis pela extensão do punho.
Epicôndilite lateral ou também conhecida como cotovelo de tenista resulta do excesso do uso dos músculos extensores do punho e da mão. Quando esses músculos são usados em excesso, os tendões são repetidamente puxados com força no ponto de inserção, o epicôndilo lateral. E como resultado, o tendão se inflama.
A epicondilite do cotovelo pode manifestar-se a partir da adolescência até idades avançadas, com pico de incidência nos grupos etários entre 35 e 50 anos e em indivíduos que executam movimentos crônicos de repetição no cotovelo, como torneiros mecânicos, carpinteiros, nos esporte de arremesso, jogadores de tênis e outros esportes com raquete, trabalho em máquinas, datilografia e tricô.
Os sintomas, mais comuns são:
·         Dor ou sensibilidade na parte externa do cotovelo;
·         Dor ao estender o punho ou a mão;
·         Aumento da dor ao levantar objetos pesados;
·         Dor durante a flexão de dedos, ao pegar um objeto, ao cumprimentar com aperto de mão ou girar a maçaneta da porta;
·         Dor que origina no cotovelo e desce até o antebraço ou sobe para o braço.
O diagnostico primeiramente é clinico, aonde o médico perguntará a respeito das atividades diárias e examinará o cotovelo, o braço e pedirá para que o paciente movimente o braço. Um simples raio-X do cotovelo também pode ser necessário.
O tratamento conservador da epicôndilite é satisfatório, aonde pode ser realizado: controle da dor e da inflamação por meio do repouso do esporte ou das atividades que provocavam a dor, crioterapia, analgésicos, antiinflamatórios não e reabilitação (Fisioterapia). Além do controle da dor, o tratamento conservador tem por objetivo a preservação da flexibilidade, da mobilidade e da força do cotovelo. Em casos severos, cirurgia poderá ser recomendada.
Quando retornar ao esporte ou atividade?
O objetivo da reabilitação é que o retorno do paciente ao esporte ou à atividade aconteça o mais breve e seguramente possível. O retorno precoce poderá agravar a lesão, o que pode levar a um dano permanente. Todos se recuperam de lesões em velocidades diferentes e, por isso, para retornar ao esporte ou à atividade, não existe um tempo exato, mas quanto antes o médico for consultado, melhor.
            E não esqueça, para prevenir lesões principalmente nos esportes, alongue-se, aqueça-se sempre antes e depois!

3 comentários:

  1. Heiiii Gih ! Legal teu blog , acho que e isso né ? Nao sabia disso .. PARABENS ! :**

    ResponderExcluir
  2. Oiiii Chico!! Obrigada viu!! :) Fico feliz por ter gostado! Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Muito util me esclareceu
    Valeu :)

    ResponderExcluir